Festa de Encerramento da XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira | 22 de setembro, 18h00, Fórum Cultural de Cerveira

Após mais de 40 dias de portas abertas a XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira promove a sua Festa de Encerramento no próximo dia 22 de setembro (sábado), no Fórum Cultural de Cerveira! Voltando-se a afirmar como um dos eventos obrigatórios do verão minhoto a edição comemorativa dos 40 anos, é marcada pela representação de 600 obras de 400 artistas de mais de 30 países e pela homenagem ao último dos surrealistas portugueses, o mestre Cruzeiro Seixas.

 

PROGRAMA

18h00 | PERFORMANCE “MUURMLGR”
Artista: Manoel Barbosa

Estreia e apresentação única na XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira. “Muurmlgr” é um pré-apocalíptico, permanente e célere envolvimento corporal, visual e sonoro de todo o espaço
(Fórum Cultural de Cerveira), tendo como tema o Conflito e o Prazer em feéricas provocações, recriações e drásti-cas anulações.

18h30 | MOMENTO MUSICAL
Músicos: Tânia Esteves e Joaquim Ribeiro

Tânia Esteves e Joaquim Ribeiro são dois jovens músicos que têm como principal objetivo unir as vertentes do jazz e do clássico de um modo fresco e inovador, quebrando as fronteiras existentes entre eles e, como diria Bernstein, combinando o melhor dos dois mundos.

19h15 | BALANÇO DA XX BIENAL INTERNACIONAL DE ARTE DE CERVEIRA PELO PRESI-DENTE DA FUNDAÇÃO BIENAL DE ARTE DE CERVEIRA, FERNANDO NOGUEIRA

20h00-21h30 | JANTAR

22h00 | CONCERTO DE ANTÓNIO PINHO VARGAS

António Pinho Vargas é um dos mais reputados músicos portugueses da atualidade, itinerando nas suas com-posições entre o universo jazz e a elegância de um som original em que se combina a sua dimensão intelectual, cosmopolita e telúrica, com a magia do encontro do autor com o piano. Merecedor de inúmeros prémios e men-ções, das quais podemos destacar a condecoração com a comenda da Ordem do Infante D. Henrique, em 1995; em 2012, o Prémio José Afonso pelo disco Solo II; e o Prémio Universidade de Coimbra pela sua “contribuição para a música contemporânea”, o músico regressa, a solo e ao piano, a Vila Nova de Cerveira.

X